Esta postagem tem o intuito de divulgar um exemplo bem sucedido de diagnóstico social voltado à área da educação. Para conhecer o material completo é só acessar este link.

A Cidade Escola Aprendiz é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que há 19 anos ​contribui para o desenvolvimento dos sujeitos e suas comunidades por meio da promoção de experiências e políticas públicas orientadas por uma perspectiva integral da educação.​ Uma das formas de atuação desta organização é por meio de uma tecnologia social denominada Bairro-Escola, uma proposta de aprendizagem compartilhada que articula e aproxima escolas, comunidades, organizações sociais, empresas e poder público, promovendo condições para o desenvolvimento integral de indivíduos e territórios, com especial atenção às crianças, adolescentes e jovens.

Logo, o diagnóstico elaborado por esta instituição visa criar estratégias para pensar em microterrerritórios, isto é, espaços vividos e reais que auxiliem o fortalecimento de suas potencias. Logo, o território de atuação do diagnóstico abrangeu raios de até 2 km das escolas participantes.

A pesquisa foi realizada em três micro-territórios da cidade de São Paulo com características diferentes, mas bastante representativas: Centro (com uma grande diversidade social e cultural), Fundão do Jd. Ângela (bairro periférico e com predomínio de pessoas de baixa renda) e Vila Madalena (bairro rico e melhor servido de equipamentos públicos). Nestes micro-territórios já existiam a implantação da estratégia do Bairro-escola, isto é, sistema  de aprendizagem compartilhada  entre escolas, comunidades, poder público, empresas e organizações sociais, desenvolvida pelo Aprendiz.

As ações nos territórios têm como objetivo o fomento de territórios educativos por meio das seguintes estratégias: a constituição de um fórum democrático desenvolvendo PEL (Plano Educativo Local), uma rede local intersetorial ancorada pelo desenvolvimento integral, a integração dos potenciais educativos locais à rede de desenvolvimento integral e a democratização das escolas.

Para alcançar o objetivo do diagnóstico que é o de conhecer as condições que possibilitam o desenvolvimento integral de crianças adolescentes e jovens, a pesquisa se dividiu em quatro eixos de análise:

1) Conhecer as instâncias de participação que têm pautas relacionadas à infância, adolescência e juventude e aquelas que possuem crianças, adolescentes e jovens na sua composição;

2) Conhecer as condições das escolas para o desenvolvimento integral;

3) Conhecer as condições da rede intersetorial de Educação Integral;

4) Conhecer como vivem e pensam as crianças, adolescentes e jovens do território.

Segundo o documento:

“…para além dos resultados encontrados, destaca-se a importância da construção metodológica desenvolvida, que inaugura uma forma específica de olhar e entender os territórios da cidade sob a ótima do Bairro-escola. Ainda que a construção desse olhar e os focos que se pretendeu dar, continue um desafio que não se encerra aqui, o que se pretendeu com este trabalho foi contribuir com um pequeno avanço na construção da observação dos espaços da cidade sob esta perspectiva.

Olhar para esses espaços também significa a observação de dados … Se os dados do Censo Escolar, por exemplo, ainda são restritos sobre a participação dos diversos atores da comunidade escolar, … tentamos, por outras vias, qualificar ao máximo essas informações. Nesse sentido, os dados primários coletados neste diagnóstico procuraram entrar em contato com essa realidade e, ainda que a pesquisa tenha avançado pouco neste sentido diante de enormes limites operacionais e mesmo de desenho da pesquisa, ela mostra como esse olhar é fundamental.”

Em conclusão sobre estes territórios, o diagnóstico reafirmou por um lado, as grandes diferenças do perfil sociodemográfico e econômico destas regiões, por outro, reconheceu similitudes importantes tais como a centralidade do espaço escolar, os perfil de alunos e professores, a interlocução (e a falta de) entre a escola e seu entorno.

Muitas informações contidas na pesquisa ainda podem resultar em outras análises que este relatório não conseguiu abarcar. Embora tenha sido estruturado para os objetivos do Bairro-escola, torna-se um rico material a disposição de pesquisadores que podem se valer desses dados para outras pesquisas, aprofundando as formas de se compreender territórios educativos.

Recomendamos muito a leitura desta experiência!

Anúncios