Maior parte dos institutos de pesquisa (ibge, ipea, fundação seade, etc) faz uso de dados obtidos em outros locais, isto é, alguns ministérios do governo federal, ou órgão da administração pública estadual e municipal, costumam ter cadastros ou formulários em que usuários dos serviços públicos, órgãos públicos, entidades ou empresas privadas são obrigados a preencher, transformando-se em informação

da burocracia à ação, da informação à transformação…

Em relação aos indicadores sociais disponíveis, podemos usar inúmeras fontes, mas vamos nos restringir a algumas muito utilizadas em políticas públicas setoriais, como assistência social, saúde, trabalho e educação:

O MTE (ministério do trabalho e emprego), por exemplo, solicita que toda empresa preencha regularmente informações sobre seus trabalhadores, constituindo uma fonte de dados sobre remuneração, crescimento ou diminuição dos empregos formais nos diversos setores, entre outras. Os principais instrumentos do MTE são a RAIS (relação anual de informações sociais), e o CAGED (cadastro geral de empregados e desempregados), com periodicidade respectivamente, anual e mensal.

Outra fonte muito rica é a base de dados do MDS  (ministério do desenvolvimento social e combate à fome), que possui inúmeras ferramentas para extração e análise dos indicadores sociais. As fontes de dados do MDS são inúmeras, como o  CadÚnico (cadastro das pessoas e famílias de baixa renda ou em situações de ris co ou vulnerabilidade), os cadastros do bolsa família, do benefício de prestação continuada, dos repasses de recursos, o censo anual do sistema único de asssitenciai social, registros de serviços,  atendimentos socioassistenciais, enfim, informações sem fim. A SAGI (secretaria de avaliação e gestão da informação) disponibiliza diversas ferramentas com livre acesso para extração de tabelas, gráficos e mapas.

Na SEDS (secretaria estadual de desenvolvimento social de São Paulo), outra fonte de dados da assistência social é o sistema dos planos municipais de assistência social, PMASweb. Esta base de dados é bastante confiável, pois esta vinculada ao repasse de recursos públicos, acessada por gestores, conselhos, comissões e outras instancia de gestão e controle da assistência social. O sistema disponibiliza  informações completas sobre a rede de atendimento socioassistencial, serviços, recursos humanos recursos financeiros, entre outros (necessita solicitar acesso pelo e-mail: pmas@seds.sp.gov.br).

O MEC (ministério da educação) possui também possui dados demográficos sobre educação, do desempenho de alunos, dados institucionais e de monitoramento dos programas federais. O Painel de Controle do MEC  traz uma base de dados sobre equipamentos de educação, matrículas e programas. Já o INEP (instituto nacional de estudos e pesquisas educacionais Anísio Teixeira) realiza anualmente os censos educacionais, com uma diversidade de dados relacionado as escolas.

Por fim, o Ministério da Saúde disponibiliza o DATASUS  disponibiliza informações que podem servir para subsidiar  análises objetivas da situação sanitária, dados de mortalidade e de sobrevivência, controle das doenças infecciosas, cadastros das redes hospitalares e ambulatoriais, cadastro dos estabelecimentos de saúde, recursos financeiros e informações Demográficas e Socioeconômicas.

Anúncios